Silvana Flores
Home Contato Adicionar aos Favoritos

Flores tropicais

As flores tropicais são conhecidas pela beleza de suas cores, o exotismo de suas formas e a maior durabilidade em vasos e arranjos decorativos. Assim, as helicônias, o Bastão do Imperador, os sorvetes, as musas, os costus, como também as folhagens tropicais - a exemplo de cordylines e dracaenas- estão compondo com flores os arranjos, e ganhando espaço em eventos como formaturas, congressos e casamentos atualmente por todo o país.

O Brasil possui uma diversidade climática e beleza da flora ostensivas, assim como a posição estratégica em relação ao mercado internacional. Não poderia ser diferente: a produção de flores tropicais vem crescendo, principalmente em relação a maioria dos países, que não possuem tais características. O cultivo de flores tropicais então, deixou de ser apenas uma atividade prazerosa para se tornar um negócio com grandes perspectivas - que digam os grandes decoradores, paisagistas e floristas do país.

As mais conhecidas e comercializadas flores tropicais são orquídeas e antúrios. Mas outras espécies estão seduzindo as pessoas de bom gosto de todo o mundo, que são : as helicônias, a alpínia, o bastão do imperador, o gengibre, o xampu e o bico-de-papagaio.

As orquídeas são o produto mais velho e mais conhecido no mercado quando se trata de flores. Foram já descritas, mais de 25 000 espécies, e produzidos outros tantos híbridos. Há orquídeas com as mais variadas dimensões, desde plantas extremamente pequenas, com flores do tamanho de uma cabeça de alfinete, até plantas com mais de três metros de altura, capazes de produzir hastes florais de comprimento superior a quatro metros (dignas de uma matéria exclusiva no minharua). Florescem apenas uma vez por ano, e sua floração dura de 3 dias a 1 mês, variando de acordo com cada espécie.

A flor do antúrio, na verdade, é bem pequena, alcançando o tamanho da cabeça de um alfinete. A parte colorida e exótica, que normalmente achamos que é a flor, na verdade é uma inflorescência. As verdadeiras flores do antúrio são os pontinhos amarelos que brotam na espiga. Mas o antúrio não impressiona apenas pela beleza da inflorescência. Suas folhas em formato de coração, que variam de tamanho dependendo da espécie, são extremamente exóticas. Em algumas espécies, podem ser até mais atraentes que as inflorescências, bons exemplos disso são o Anthurium crystallium e o Anthurium magnificum que apresentam as nervuras em tons contrastantes, resultando em verdadeiros desenhos nas folhas.

As helicônias são flores originárias das regiões tropicais das Américas e, dentre as mais de 350 variedades, muitas têm seu habitat natural na Amazônia. Esta família de plantas exóticas possui diferentes espécies, com diferentes tamanhos e formatos, e o colorido intenso de suas flores apresenta geralmente combinações de vermelho, rosa, laranja, amarelo e verde. Há dois tipos básicos de helicônias: pendentes e eretas. Elas são extremamente duráveis e resistentes. Como flores de corte, dão exuberância a arranjos florais; utilizadas em projetos de paisagismo, enfeitam jardins, praças e parques com muita elegância.

O bastão-do-imperador, a alpínia e o xampu são variedades da família zingiberaceae. São espécies tropicais originárias da Ásia que se adaptaram tão bem à nossa região, sendo até tomadas por plantas nativas. Certas espécies são muito perfumadas e o colorido de suas flores é intenso e variado. Os bastões-do-imperador vão de um tom pálido de rosa ao vermelho escuro; as alpínias são encontradas basicamente em rosa e vermelho; e o xampu é amarelo dourado ao nascer e vai ficando vermelho sangue com o tempo.

Há, aproximadamente, 1.400 espécies na família zingiberaceae, incluindo as variedades comestíveis, como o gengibre. Algumas flores, pela delicadeza de suas pétalas, não são comercializadas, pois estragam rapidamente, mas o bastão-do-imperador, a alpínia e o xampu são tão resistentes e duráveis quanto as helicônias e podem ser utilizados com sucesso em arranjos florais e decoração de eventos diversos.

A floricultura vem ampliando suas fronteiras e contribuindo com a economia do país. Existe todo um trabalho realizado pelos produtores, auxiliados por órgãos competentes, na área de pesquisa, seleção, melhoramento e desenvolvimento de novas variedades de flores tropicais.

Em 2006, na 19º bienal do livro, foi lançado o livro Flores Tropicais que contou com o apoio de diversos autores entre biólogos, agrônomos e economistas. A edição técnica da obra é de responsabilidade dos pesquisadores Daniel Terao e Ana Cristina Carvalho, e da jornalista Teresa Barroso. O livro Flores Tropicais é uma edição bilíngüe e revela em suas 226 páginas informações relevantes sobre espécies exuberantes como bromélias, antúrios, orquídeas, helicônias, entre outras. Além de informações técnicas e belas fotografias, Flores Tropicais também oferece ao leitor, a cada capítulo, poesias de Deborah Brennand, poetisa pernambucana.

O Brasil tem na exportação um grande caminho a ser trilhado, pois detém as condições climáticas adequadas e mão de obra qualificada no cultivo de flores tropicais. E nós brasileiros, podemos aproveitar com fartura mais essa beleza peculiar do nosso país.

Compartilhar

Receba Informativos

Koyot Desenvolvimento Web